festança de despedida 2010

A comezaina de fim de ano pode sempre ter dois sentidos:
A despedida de um ano que nos trouxe embalados nos diversos acontecimentos que vivemos até esta data, ou a celebração e a recepção ao novo ano que vai entrar cheio de esperança e sentimentos renovados.
Para mim é motivo de estar com os amigos e encher a mesa de coisas que nem sempre temos paciência e dedicação para preparar durante o ano todo.
Por isso, ontem à noite houve abundância cá em casa e a inspiração também me bateu à porta logo de manhã, e surgiram novidades que não podem deixar de ser assinaladas:
- o tepanade de azeitona
- os folhados de salmão fumado
- o arroz de pato oriental
- os coscorões veganos
- a torta com chocolate e cobertura de neve
- as batatas e maças com canela no forno
- as flores de vegetais com frutos secos

...e claro, o típico bacalhau com natas, as azevias e a aletria (que a S. trouxe), a tarte de amêndoa, o pão de centeio quentinho, a mozarella com kiwi, e o soberbo bolo rei.

Passarei aos detalhes nos post seguintes...

Comentários

  1. Olá Manuela,

    Eu ainda não experimentei nenhuma das suas receitas, no entanto, gostaria de começar pela sua tarte de amêndoa, pode-me tirar algumas dúvidas antes de a fazer?

    1. Com a receita que nos deu qual é o tamanho da forma que podemos usar?

    2. "Forre a forma......e coloque no forno até cozer." Podia-me dizer qual a temperatura do forno e mais ou menos o tempo de cozedura? A massa deve ficar tenrinha, não é?

    3. "Verta sobre a tarte cozida e leve ao forno a corar". Podia-me dizer quanto tempo, mais ou menos? Não deve ser muito tempo pois não? É que como já esteve no forno antes se agora fica muito mais tempo vai acabar por cozer ainda mais a massa.

    Se a Manuela tiver tempo para me tirar estas dúvidas agradecia.
    Obrigadissimo e força, continue a dar-nos boas receitas.
    Um abraço para si e família.
    Nuno Morais

    ResponderEliminar
  2. olá, e obrigada pelos elogios. Aqui vão as respostas:
    1. forma standard de tamanho médio;
    2. depois de forrar a forma com a massa (precisa de enfarinhar as mãos para a massa não colar) leve ao forno até a massa estar ligeiramente cozida e fofa, mas não corada, a temperatura depende da qualidade do forno, diria a 260 graus durante cerca de 12 minutos;
    3. é mesmo só para corar, pois a massa já está praticamente cozida e a amendoa já ferveu pelo menos 5 a 10 minutos em lume brando. Assim serão uns 5 a 10 minutos talvez, depende sempre do forno, o ideal é ir controlando visualmente.
    Um truque que faz diferença: se gostar da tarte mais seca e com nitida separação entre a massa e o recheio, deve deixar cozer mais a massa antes de juntar a amendoa. Se preferir que o creme se misture ligeiramente com a massa deve cozer menos a massa, assim, ao verter a amendoa o liquido será absorvido pela massa.
    bom apetite!

    ResponderEliminar

Publicar um comentário

Mensagens populares