gratinado de curgete e beringela

Corte uma beringela e uma curgete em rodelas de ½ cm e leve a alourar dos dois lados numa frigideira com uma colher de sopa de azeite e ½ de manteiga. Escorra sobre papel absorvente.
Disponha num prato de ir ao forno a primeira camada de beringela, tempere de pimenta e salsa picada ou estragão. Cubra com 50 gr de queijo ralado. Disponha as rodelas de curgete e tempere da mesma forma.
Bata um ovo com ½ pacote de natas e cerca de 50ml de leite.
Regue por cima do preparado, polvilhe com queijo ralado e leve ao forno a alourar.
Sirva com arroz integral de ervilhas e salada.

E esta receita de vegetais com um agradável sabor a queijo, veio a acompanhar a publicação de mais um artigo no jornal. Desta vez para sugerir algumas DICAS VEGETARIANAS, que possam ajudar a tornar a nossa alimentação mais saudável e diversificada.

As teorias relacionadas com a alimentação adequada são muito diversas, por vezes até contraditórias e controversas. Por um lado temos os adeptos da roda alimentar e os defensores da proteína animal como a única fonte de aminoácidos essenciais para o cérebro, por outro lado temos os vegan contra todos os produtos de origem animal e seus derivados; há ainda os crudívoros, os macrobióticos e outros tantos.
Na minha isenta opinião (porque cada um deve fazer a alimentação na qual acredita), devemos variar o mais possível o nosso regime alimentar – diversificar - ir buscar sabores e ingredientes novos, formas de cozinhar variadas e criativas. Assim não nos expomos a nenhuma das deficiências dos modelos mencionados, e acabamos de uma vez por todas com a monotonia à mesa: hoje comemos um prato vegetariano, amanhã um prato tradicional, depois uma refeição de toque indiano e noutro dia uma de influência mediterrânica; e por aí fora… sempre a inovar e a surpreender quem se senta connosco à mesa.
Ainda na sequência do artigo da semana passada deixo-vos algumas sugestões para o caso de quererem experimentar uma alimentação mais vegetariana. Não sendo, eu própria, uma verdadeira vegetariana (sou talvez uma semi-vegetariana, pois ainda não confecciono uma alimentação totalmente ausente de proteínas animais), a minha ementa baseia-se em duas ideias simples: almoços completos, para fazer face às necessidades nutricionais das crianças (imperando o peixe sobre a carne), e jantares vegetarianos ou mediterrânicos para incutir novos sabores.
Posto isto, eis algumas dicas para tornar a sua ementa mais vegetariana: comece por proceder à substituição gradual de proteínas animais por leguminosas (grão, feijão, soja, ervilhas, etc.). Sempre que possível reduza o consumo de carne, peixe e ovos a uma refeição por dia, sendo a outra vegetariana. Faça a substituição dos cereais (pão, farinha, massa, arroz, etc.) por cereais integrais, visto serem mais nutritivos que os refinados. E procure consumir diariamente leite, iogurte ou queijo fresco, fruta fresca e sopa de legumes.
Mesmo que não siga à risca, incluir práticas vegetarianas leva-nos a ter uma alimentação mais saudável, pois a redução do consumo de carne e aumento da ingestão de vegetais e frutos aumenta as defesas do organismo e a sua vitalidade para fazer face às adversidades do dia-a-dia.

PUBLICADO EM: JORNAL TRIBUNA DE MACAU, a 15 de Outubro de 2010

Comentários

Mensagens populares