os três RRR na alimentação


OS TRÊS RRR NA ALIMENTAÇÃO

Já todos ouviram falar da política dos 3 RRR – Reduzir, Reutilizar, Reciclar? Espero que sim, e que o tentem aplicar na vossa vida diária, mas sobretudo que passem esta forma de estar para as crianças, sejam filhos, educandos ou pupilos.
A meu ver esta política também deve ser aplicada à alimentação, senão o mundo vai tornar-se, a curto prazo, um lugar insustentável. A população excessiva está a levar ao desgaste dos recursos, a esvaziar os oceanos e a empobrecer as terras, provocando erosão e desertificação dos locais férteis e o chamado aquecimento global. Ora, das duas - uma, ou se diminui a população ou se reduz o consumo nas sociedades industrializadas e modernas. Se todo o mundo consumisse e desperdiçasse ao ritmo dos EUA, Europa e Japão, teríamos um impacto devastador no nosso planeta, 12 vezes superior ao actual. E, segundo dados sociológicos, se continuarmos a consumir a este ritmo, em 2050 teremos que produzir o dobro da comida.
Os dados indicam também que há mais obesidade do que fome neste mundo. Ou seja, 20% da população é obesa, contra 15% dos famintos. Incrível não é?
Enquanto os países pobres tem que lidar com a dificuldade de acesso e distribuição do tal excesso de produção, o outro lado do mundo vê-se a braços com as chamadas doenças modernas, todas elas relacionadas com excesso de consumo, de proteínas, de sal, de açúcar, etc… é que o excesso de nutrição mata mais do que a fome.
Por isso esta ideia de hoje, que se tente aplicar o dito conceito dos 3 RRR à alimentação:
Reduzir o consumo: para bem do planeta e da nossa saúde. Cada um pode fazer uma pequena diferença e todos juntos farão uma grande diferença.
Reutilizar as refeições em sobejo: diga sim ao take-away, tá-páo, e aos jantares REDON – restos de ontem. Basta de rapar travessas e travessas com boa comida para o caixote do lixo.
Reciclar as sobras de algumas refeições: criar outros pratos com nova roupagem, como os pastelinhos com sobras de peixe e bacalhau, as massas, o empadão, as tartes, as pizzas e omeletas, os folhados e risotos. É só dar asas à imaginação, encontrar os temperos certos, e tudo terá uma nova apresentação na mesa.


E A RECEITA QUE ACOMPANHOU ESTE ARTIGO FORAM ESTES PASTELINHOS DE PEIXE:

ARTIGO PUBLICADO NO JORNAL TRIBUNA DE MACAU, a 18 de maio de 2012



Comentários

Mensagens populares