AS MELHORES FONTES DE PROTEINA VEGETAL

ARTIGO PUBLICADO NO JORNAL TRIBUNA DE MACAU, a 23 de março de 2012

Andei esta semana a reler artigos sobre a qualidade das proteínas de fonte vegetal e entre as leituras efetuadas encontrei um artigo muito bem sintetizado que reúne alguma informação sobre as seis melhores fontes de proteína vegetal: o feijão de soja fresco, a quinoa, leguminosas, vegetais de folha verde, cogumelos e oleaginosas.
Dizem as pesquisas que o feijão de soja verde (edamame, em japonês) tem três vezes mais proteína que o tofu ou o leite de soja (que são preparados a partir do feijão de soja), ou seja, um copo de edamame contem a mesma quantidade de proteínas que um bife e os oito aminoácidos essenciais que nele estão presentes.
A quinoa, que é uma semente mas pode ser consumida como se de um cereal se tratasse, é excelente na substituição de arroz ou numa mistura com frutos secos ao pequeno-almoço. Para além de ser uma proteína completa é também um alimento riquíssimo em fibras.
Outros feijões e leguminosas também são bons substitutos de proteína animal, sobretudo se forem adicionados a uma base de arroz – arroz com feijão e arroz com milho, pratos típicos da alimentação de alguns povos. Faça uma investida pelos diferentes feijões, passando pelo grão, lentilhas e ervilhas. Mas lembre-se: as leguminosas secas tem níveis de proteína mais elevados do que as enlatadas.
Na categoria dos vegetais de folha verde destaca-se os espinafres, os brócolos, a couve-de-bruxelas, os espargos e as alcachofras. E depois os cogumelos, que adicionados a estas folhas verdes se revelam muito nutritivos e completos.
Finalmente, a categoria das oleaginosas, onde o amendoim aparece como o mais proteico. Sabia que uma mão cheia de frutos secos equivale a uma posta de peixe?

Este artigo não pretende incutir nos leitores radicalismos alimentares, é apenas conivente com os nutricionistas que recomendam a redução de consumo de proteína animal e estas são algumas boas sugestões para aqueles que querem começar a fazer substituição destas por alimentos igualmente ricos em proteínas, mas de origem vegetal. Ora numa refeição ou duas por semana, ora de forma mais consistente, todos os dias ao jantar. Cada um que decida o melhor para si... 

E A RECEITA QUE ACOMPANHOU ESTE ARTIGO ESTÁ AQUI:

Comentários

Mensagens populares